CESVI Brasil - Centro de Experimentação e Segurança Viária

O primeiro elétrico produzido no Brasil

A Toyota lançou uma versão híbrida – construída no país – do Corolla, seu campeão de vendas por aqui.

21/08/2020
O carro mais vendido do mundo há alguns anos – que também é o sedã médio mais comercializado no Brasil – ganhou desde setembro de 2019 uma versão híbrida, que tem uma importância histórica: o Corolla Altis Hybrid é o primeiro carro elétrico produzido no nosso país. Não se trata de um modelo plugin, ou seja, ele não carrega em tomada – somente em movimento. 

Entenda agora por que o Corolla híbrido é uma grande aposta da montadora.

BATERIA MAIS EM CONTA
Na época em que os primeiros modelos elétricos e híbridos foram lançados, um dos problemas em revendê-los era o valor da bateria, que poderia chegar a até 60% do valor de mercado do veículo. Agora, o preço de reposição da bateria elétrica do Corolla Altis Hybrid é de cerca R$ 10 mil, o que equivale a menos de 10% do valor do veículo, se avaliada a versão de entrada. E, para consolidar o veículo no mercado, a Toyota passou a estender a cobertura de oito anos para os seguintes itens: bateria híbrida, inversor/conversor, módulo de controle da bateria híbrida e módulo de controle de energia. 

VALOR DO SEGURO
O CESVI fez uma cotação online, comparando os modelos 2020 do Corolla Altis 2.0 16V a combustão e do Corolla Altis Hybrid Premium. O centro de pesquisa percebeu uma diferença de cerca de 100% de um para o outro – com o Hybrid Premium ficando muito mais barato. 

O híbrido ficou no valor de aproximadamente R$ 5.100 enquanto a versão a combustão, R$ 10.700. O híbrido também ganha na porcentagem mais baixa do IPVA e em função da isenção de rodízio (em algumas localidades).

HÍBRIDO FLEX
A motorização do veículo é um sistema híbrido flex com 101 cavalos de potência no motor a combustão e 72 no motor elétrico. O torque é de 14,5 Kgf.m na combustão (abastecido 100% com etanol) e 16,6 Kgf.m no elétrico. O veículo normalmente parte com o motor elétrico e o sistema a combustão entra em operação quando o carro atinge uma velocidade de aproximadamente 40 km/h, ou em condições de forte aceleração. A partir desse momento, os motores a combustão e elétrico funcionam juntos. Na desaceleração, o motor a combustão é desligado. Mas atenção: para conforto do motorista, não é necessário escolher qual motor utilizar – toda e qualquer decisão de escolha é automaticamente tomada pelo veículo. 

Já a transmissão é automática: Hybrid Transaxle CVT com botão seletor: Normal, ECO, Power e EV (Electric Vehicle).
Voltar